Tem alguma dúvida?
Fico feliz em ajudar!

simular consórcio

Está com alguma dúvida? Talvez a resposta já esteja aqui em nossas perguntas frequentes!

Talvez a resposta já esteja em nosso FAQ!

Consórcios Pagamento Assembleia Contemplação Cancelamento

Consórcios

O consórcio é uma alternativa muito procurada por quem deseja comprar um bem, como uma casa ou carro, a prazo. Seja pela facilidade de pagamento ou pelas vantagens que a carta de crédito oferece, a opção está cada vez mais consolidada no mercado brasileiro. Segundo a ABAC (Associação Brasileira de Administradoras de Consórcios), em janeiro de 2018, o setor aumentou 3,4% em relação à janeiro de 2017. 

Quem opta por essa modalidade de investimento deve conhecer as taxas de administração. Essa taxa é definida pela administradora do grupo de consórcio. O papel dessa empresa é fundamental para garantir mais segurança e transparência ao grupo e é isso o que você vai encontrar nesse texto.

Continue a leitura e veja como é formada e para que serve a taxa de administração de um consórcio!

Como é calculada a taxa de administração de um consórcio?

A parcela do consorciado é composta pelo percentual correspondente ao Fundo Comum (valor que é destinado para a contemplação dos consorciados), Fundo de Reserva (fundo direcionado à segurança da saúde financeira do grupo que, caso não utilizado, volta aos consorciados ativos de maneira proporcional no encerramento do grupo) e, por fim, a Taxa de Administração (que se trata da remuneração da administradora).
A taxa de administração desse investimento é fixa e corresponde a um percentual sobre o valor da carta de crédito. Ela deve ser estipulada na “proposta de adesão”, antes da assinatura dos participantes do grupo. Seu pagamento é realizado de maneira diluída, fixada nas parcelas do consórcio de acordo com a proposta de adesão.

No consórcio não há cobranças de juros. O pagamento da taxa de administração corresponde ao valor pago à administradora pela gestão do grupo.  

Diferença entre taxa de administração e taxa de juros

Uma dúvida bastante comum para quem deseja realizar o investimento através do consórcio é se taxa de administração e taxa de juros significam a mesma coisa. Para entender melhor suas diferenças, vamos entender como cada uma delas é calculada.

  • Taxa de juros: É calculada anualmente em cima do valor residual, após a amortização. Ou seja, são os juros compostos. Dependendo da sua porcentagem, essa taxa pode duplicar o valor do que foi inicialmente contratado.
  • Taxa de administração: No caso da taxa de administração, é fixado um percentual sobre o crédito para todo o período da cota, definido no contrato de adesão.

Agora que você entendeu como é composta a taxa de juros, fica mais fácil de entender por quê do sistema de consórcio ser tão seguro! Entendendo como é composta uma parcela, quais são as taxas que estão embutidas no seu consórcio, fica muito mais fácil investir na sua próxima aquisição!

É sempre válido relembrar que o consórcio não possui taxa de juros, o que torna a opção ainda mais vantajosa.

--

Ainda tem dúvidas sobre a taxa de administração ou consórcio em geral? Comente neste post ou acesse nosso FAQ! Estamos aqui para ajudar.



Assim que você realizar a contratação, vamos te enviar uma senha, e, com ela, você pode acessar as informações da sua cota em nosso site, aplicativo ou telefone.

É só acessar o nosso site ou aplicativo. Com o nosso simulador, você confere todas as opções de crédito e parcelas. Se preferir, entre em contato com nossos vendedores, para adquirir sua cota de consórcio diretamente.

É o valor do crédito contratado que você terá direito na sua contemplação. 



Na parcela do consórcio, está inclusa:


Fundo Comum: é o valor que será reunido para a compra do bem. É desse fundo que tiramos o crédito que será destinado aos contemplados e, se tiver saldo no encerramento do grupo, ele será devolvido aos consorciados ativos e excluídos.


Fundo de Reserva: esse fundo é essencial para garantir que todos os participantes do grupo irão receber sua carta de crédito. O valor é destinado a uma reserva para casos de imprevistos, como cobrir uma falta de dinheiro no Fundo Comum. Caso exista saldo no Fundo de Reserva quando o grupo terminar, o dinheiro será devolvido aos consorciados ativos. 


Taxa de Administração: é o valor que nós cobramos para administrar seu consórcio. A Taxa de Administração é bem menor que os juros cobrados em outras modalidades. Ela é dividida durante o tempo contratado: um pedaço em cada parcela.


Seguro Prestamista: esse seguro é opcional e cobrado conforme o contrato. Em caso de morte ou invalidez total e permanente do consorciado, o seguro quita o saldo devedor do seu consórcio. É uma escolha importante para quem quer cuidar da família.



É o grupo dos participantes que se ajudam mutuamente para que todo mundo possa adquirir o bem desejado. Todos contribuem todos os meses, até todos serem contemplados. 

A Cota é a participação de cada consorciado no Grupo de Consórcio, identificada por um número. Todo o histórico de pagamento e participação, bem como as características do plano escolhido pelo consorciado, fica registrado e vinculado a esse número de cota.

Consórcio é uma modalidade de compra em que pessoas formam grupos de poupança para comprar os bens desejados, podendo ser bens móveis, imóveis ou serviços. 

A formação dos grupos é feita por uma Administradora de Consórcios, como a CONSEG, e é autorizada e fiscalizada pelo Banco Central do Brasil.



No consórcio, o valor do bem é parcelado em um prazo predeterminado e os integrantes do grupo contribuem durante o período. Todos os meses, alguns consorciados são contemplados, por sorteio ou lance, para receber a carta de crédito, até o encerramento do grupo. 

A única restrição é que você precisa ser maior de idade. Caso tenha menos de 18 e queira participar, é preciso da emancipação ou acompanhamento de um responsável. 


Mas lembre-se: consórcio é um compromisso sério. Considere sempre sua renda para escolher o plano ideal para você. 



Você pretende comprar um bem valioso, já estudou as possibilidades e optou por realizar um consórcio. Mas e agora, quais os próximos passos? É normal surgirem dúvidas antes de um investimento como esse. Para te ajudar, elaboramos uma lista com 5 dicas para adquirir um consórcio com segurança!

Para iniciar qualquer tipo de investimento, é necessário um bom planejamento prévio. Ninguém quer realizar um sonho e em troca ganhar um problema financeiro, não é mesmo?

O consórcio é a melhor forma de conquistar o seu sonho. Para isso, é preciso conhecer todas as opções e escolher aquela que mais se adeque às suas necessidades.

Investir com segurança é o primeiro passo para garantir o sucesso do consórcio. Para isso, algumas regras simples podem ser seguidas. Por exemplo:

  • Conferir se a administradora do consórcio é de confiança e está regulamentada pelo Banco Central do Brasil;

  • Calcular as taxas antes da assinatura do contrato;

  • Controlar as finanças durante o período do consórcio.

Veja agora como adquirir um consórcio sem ter imprevistos no final do mês e fique cada vez mais perto do seu sonho!

Veja agora as 5 principais dicas para adquirir um consórcio com segurança!

1. Conheça os seus gastos

Fazer um investimento exige disciplina com os gastos mensais. Isso não significa que você deva abrir mão do conforto e lazer, mas sim dar mais atenção aos gastos supérfluos e tentar evitá-los. Uma ótima opção é conseguir reunir todos os seus gastos em uma planilha, dessa forma, você tem uma visão completa de toda a movimentação do seu dinheiro.

2. Escolha o melhor consórcio para a sua necessidade

Escolher o consórcio adequado é o primeiro passo para quem deseja participar dessa modalidade de investimento. Se você está buscando um automóvel, pode procurar qual combina com o seu perfil. A CONSEG, por exemplo, tem as opções Auto e Auto Plus, que variam em valor de crédito e das parcelas.

Após ser contemplado, você pode escolher o bem, dentro das possibilidades estabelecidas em contrato.

3. Considere possíveis imprevistos

Como o próprio nome já diz, imprevistos geralmente não estão dentro do nosso orçamento. Fazer uma parcela adequada e coerente aos seus gastos mensais pode evitar que problemas financeiros aconteçam ao longo do consórcio.

Tenha sempre um valor destinado a imprevistos no planejamento financeiro. Dessa forma, é possível se proteger contra possíveis emergências, sem precisar atrasar as parcelas do seu investimento.

4. Escolha o número de parcelas ideal

Uma das principais vantagens do consórcio, é que ele possibilita escolher o número de parcelas mais adequado ao seu planejamento financeiro. Optando por mais  parcelas, você fará um investimento mensal mais barato, facilitando assim, a aquisição do bem escolhido.

Vale lembrar que não há cobrança de juros em consórcios, independente do número de parcelas acordadas.

5. Faça um bom planejamento financeiro

Por último e mais importante, faça um planejamento financeiro antes mesmo de iniciar um consórcio. Mantenha ele em dia e tente atualizá-lo mensalmente.

Às vezes, é necessário adequar algumas contas e, com a organização correta, é mais fácil de conquistar seu novo automóvel ou imóvel.

-----

Vale lembrar que todo consórcio é regulado pelo Banco Central do Brasil e isso traz mais transparência e credibilidade ao sistema.

A Conseg está pronta para te ajudar a conquistar o seu sonho! Clique aqui, faça uma simulação e encontre o investimento certo para você!


Se você deseja ter a casa própria, assim como milhares de brasileiros, já deve ter pesquisado sobre algumas formas de realizar essa aquisição. A seguir vamos entender um pouco mais sobre as vantagens do consórcio para compra de um imóvel, a melhor alternativa para adquirir o seu bem.

O consórcio de imóveis é uma modalidade financeira realizada por um grupo de pessoas, através de uma administradora. Com parcelas mensais pré-estabelecidas, através do sistema de lance ou sorteio, os consorciados podem ser contemplados com uma carta de crédito no valor do imóvel desejado.

5 vantagens do consórcio para compra de imóvel

Segundo a Associação Brasileira de Administradores de Consórcio (ABAC), existem 862 mil consorciados ativos no Brasil para aquisição de imóveis. O grande número pode ser explicado pela facilidade e pelas vantagens que o consórcio oferece.

A flexibilidade do consórcio é um dos benefícios que mais chama a atenção. Isso porque, quem opta pelo consórcio para comprar um imóvel consegue definir o valor da carta de crédito, o valor a ser investido mensalmente e o prazo que deseja pagar.

Conheça as 5 principais vantagens do consórcio para compra de imóvel!

1 - Totalmente parcelado

Não é necessário pagar um valor de entrada em um consórcio. O valor total do investimento, incluindo a taxa da administradora e o fundo de reserva, são diluídos no número total de parcelas e pagos mensalmente. Ou seja, não é preciso ter um montante inicial ao adquirir o consórcio, pois o primeiro pagamento já contará como a primeira parcela, e você já estará concorrendo ao sorteio.

2 - Não há juros

Essa com certeza é uma das maiores vantagens do consórcio. Como explicado acima, o crédito total do consórcio é parcelado dentro do prazo de pagamento do plano.

Os consorciados pagam suas parcelas mensalmente, formando o saldo de caixa que é utilizado para contemplação dos participantes, ao longo da vigência do grupo.

3 - Poder de compra a vista

Como, assim que contemplado, a carta de crédito permite o pagamento do imóvel à vista, o consorciado aumenta a possibilidade de negociação na hora da realização da compra.

4 - É possível obter a carta de crédito antes de ser sorteado

Além dos sorteios realizados mensalmente, as assembleias permitem que os consorciados ofereçam lances pelo carta de crédito. Essa é uma ótima opção para quem tem um dinheiro guardado.

Caso haja um lance maior, o consorciado volta a participar do grupo normalmente, podendo ser sorteado ou tentar o lance novamente no mês seguinte.

5 - Utilização do FGTS no consórcio

O consórcio para compra de imóvel permite que o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) seja usado para dar um lance ou para quitar as parcelas do consórcio.

Existem algumas regras quanto à utilização do FGTS para consórcio de imóveis que seguem as mesmas regras do S.F.H, clique aqui e confira!


------

Entendeu as principais vantagens do consórcio para compra de um imóvel?

A Conseg tem tudo para te ajudar a conquistar o sonho do casa própria. Clique aqui e faça uma simulação de consórcio agora mesmo!


Você sabe exatamente o que é um consórcio e como ele é realizado? Apesar de ser uma forma de investimento já conhecida, é normal que fiquem alguns questionamentos sobre o que é, como funciona e quais são os benefícios de optar por um consórcio.

Começando pelo básico, o consórcio pode ser definido como um investimento utilizado para adquirir um bem de consumo, móvel ou imóvel. Nesse texto vamos apresentar tudo sobre esse modelo de investimento. Continue a leitura e saiba mais!

O que é um consórcio?

Todo o sistema do consórcio é baseado no conceito de cooperação. Isso quer dizer que um grupo de pessoas físicas e/ou jurídicas se forma por um interesse em comum. A ideia é a aquisição de bens móveis ou imóveis, e até serviços através de um investimento mensal, dividido ao longo de um prazo pré-determinado.

Entendendo como funciona o consórcio

Já vimos o que é um consórcio. Agora vamos entender melhor como ele funciona.

O grupo de consorciados tem um contrato com uma empresa administradora. Essa, por sua vez, deve possuir autorização emitida pelo Banco Central do Brasil, que avalia a capacidade financeira, econômica e gerencial do negócio.

A administradora, através de um contrato, tem o papel de gerir o grupo de modo a oferecer segurança ao consorciado e a saúde financeira do grupo. Dessa maneira, ela pode garantir os interesses coletivos dos consorciados.

Com um grupo formado, mensalmente é realizada uma assembleia e, nessa assembleia, são realizadas as contemplações das cotas. Essas contemplações podem ser via sorteio ou lance.
Após a contemplação, fica disponível ao consorciado a carta de crédito adquirida, podendo ser usada conforme as possibilidades delimitadas em contrato.

Veja agora algumas questões importantes para entender como você pode aderir ao consórcio:

1 - Como aderir a um consórcio?

Para adquirir uma cota de consórcio, o cliente assina um contrato de adesão. Neste contrato constam todas as regras e informações referentes ao contrato, como:

  • Taxa de administração;

  • Prazo de contratação;

  • Valor das prestações;

  • Reajuste de prestações e saldo devedor;

  • Condições de contemplação;

  • Direitos e deveres do consorciado e da administradora. 

2 - Como as prestações são calculadas?

O valor das prestações se dá pela soma do valor do crédito definido no momento da aquisição da cota adicionado a taxa de administração e fundo de reserva. Podendo estar incluso também o seguro. Esse valor total é dividido pelo número de meses de duração do consórcio. 

O reajuste do crédito e do saldo devedor da cota, ocorrerá conforme estabelecido na assembleia de inauguração do grupo e em contrato.

  • A taxa de administração visa recompensar a administradora do consórcio pela montagem, organização e administração do grupo;

  • fundo de reserva, como o nome mesmo diz, será uma reserva para eventual cobertura de recurso do grupo. Caso essa reserva não seja utilizada no período, o valor será rateado proporcionalmente ao crédito de cada consorciado ativo no encerramento do grupo;

  • O fundo comum, é o valor pago por todos os consorciados para a conquista do bem.

3 - Como funciona a contemplação da cota?


O valor arrecadado pelo grupo de consorciados são contabilizados separadamente. Mensalmente, são feitas assembleias para a definição dos consorciados contemplados.

Desta maneira, o recurso para aquisição do bem ficará disponível para a utilização a partir da contemplação da cota, que poderá ocorrer das seguintes formas:

  • Via sorteio. Os clientes são sorteados de forma aleatória, com chances iguais. São sorteados cinco números e o quinto número sorteado é considerado o contemplado por sorteio. Os demais são reservas que serão utilizadas na ordem inversa (4º, 3º, 2º, 1º), caso o quinto número sorteado não esteja apto para a contemplação.

  • Via lance. Cada consorciado poderá concorrer, além do sorteio, com uma oferta de lance na cota. Essa oferta poderá ser através do lance livre, sendo que quem ofertar o maior percentual será considerado o ganhador ou através do lance fixo, caso o grupo decida por essa modalidade em sua constituição.

Em caso de empate de lances, o desempate é feito levando em consideração o quinto número sorteado. A cota que mais se aproximar do número é a vencedora por lance do mês. 

Os lances ocorrem de forma sigilosa, ou seja, os consorciados não possuem conhecimento das ofertas de lance até que a assembleia seja realizada.

A quantidade de contemplações na realização da assembleia dependerá da arrecadação mensal do grupo.

Ao ser contemplado, o consorciado recebe uma carta de crédito, que deve ser usada para a aquisição do bem desejado.


--

Ainda com dúvidas sobre consórcio? Comente aqui embaixo a sua dúvida, ou acesse nosso FAQ. A CONSEG está aqui para te ajudar! 



Pagamento

O consórcio é uma alternativa muito procurada por quem deseja comprar um bem, como uma casa ou carro, a prazo. Seja pela facilidade de pagamento ou pelas vantagens que a carta de crédito oferece, a opção está cada vez mais consolidada no mercado brasileiro. Segundo a ABAC (Associação Brasileira de Administradoras de Consórcios), em janeiro de 2018, o setor aumentou 3,4% em relação à janeiro de 2017. 

Quem opta por essa modalidade de investimento deve conhecer as taxas de administração. Essa taxa é definida pela administradora do grupo de consórcio. O papel dessa empresa é fundamental para garantir mais segurança e transparência ao grupo e é isso o que você vai encontrar nesse texto.

Continue a leitura e veja como é formada e para que serve a taxa de administração de um consórcio!

Como é calculada a taxa de administração de um consórcio?

A parcela do consorciado é composta pelo percentual correspondente ao Fundo Comum (valor que é destinado para a contemplação dos consorciados), Fundo de Reserva (fundo direcionado à segurança da saúde financeira do grupo que, caso não utilizado, volta aos consorciados ativos de maneira proporcional no encerramento do grupo) e, por fim, a Taxa de Administração (que se trata da remuneração da administradora).
A taxa de administração desse investimento é fixa e corresponde a um percentual sobre o valor da carta de crédito. Ela deve ser estipulada na “proposta de adesão”, antes da assinatura dos participantes do grupo. Seu pagamento é realizado de maneira diluída, fixada nas parcelas do consórcio de acordo com a proposta de adesão.

No consórcio não há cobranças de juros. O pagamento da taxa de administração corresponde ao valor pago à administradora pela gestão do grupo.  

Diferença entre taxa de administração e taxa de juros

Uma dúvida bastante comum para quem deseja realizar o investimento através do consórcio é se taxa de administração e taxa de juros significam a mesma coisa. Para entender melhor suas diferenças, vamos entender como cada uma delas é calculada.

  • Taxa de juros: É calculada anualmente em cima do valor residual, após a amortização. Ou seja, são os juros compostos. Dependendo da sua porcentagem, essa taxa pode duplicar o valor do que foi inicialmente contratado.
  • Taxa de administração: No caso da taxa de administração, é fixado um percentual sobre o crédito para todo o período da cota, definido no contrato de adesão.

Agora que você entendeu como é composta a taxa de juros, fica mais fácil de entender por quê do sistema de consórcio ser tão seguro! Entendendo como é composta uma parcela, quais são as taxas que estão embutidas no seu consórcio, fica muito mais fácil investir na sua próxima aquisição!

É sempre válido relembrar que o consórcio não possui taxa de juros, o que torna a opção ainda mais vantajosa.

--

Ainda tem dúvidas sobre a taxa de administração ou consórcio em geral? Comente neste post ou acesse nosso FAQ! Estamos aqui para ajudar.



O sonho da casa própria parece distante? Juntar o valor total de um imóvel parece uma tarefa praticamente impossível? E se houvesse uma maneira de conquistar esse sonho, com dinheiro que você já possui e o melhor, de uma forma que não pese no seu orçamento? 

Sim, isso é possível e mais simples do que você imagina. Basta utilizar o FGTS para o seu consórcio de imóveis. 

Quem decide participar de um grupo de consórcio pode optar por utilizar o FGTS (Fundo de Garantia do tempo de Serviço) como forma de pagamento. Embora a alternativa seja amplamente divulgada, ainda é muito comum surgirem dúvidas sobre como utilizar o FGTS para o pagamento do consórcio de imóveis.

Neste artigo, vamos explicar como utilizar o FGTS para pagar o consórcio de imóveis de forma planejada e segura. 

Como usar o FGTS para pagar consórcio de imóveis

O FGTS pode ser utilizado de 4 maneiras diferentes dentro de um consórcioVeja como o FGTS pode ser utilizado para pagar o consórcio de imóveis antes de escolher a melhor opção pra você:

  1. Oferta de lance

Essa é a opção mais comum para quem deseja usufruir do FGTS para aquisição de um imóvel. O consorciado pode utilizar todo o saldo do benefício para ofertar um lance. Para isso, a única exigência é que o extrato do Fundo de Garantia seja apresentado à administradora

  1. Complementação da carta de crédito

Essa é a maneira mais simples de utilizar o FGTS. O consorciado pode sacar uma parte do Fundo de Garantia para complementar sua carta de crédito. 

  1. Pagamento de parte das prestações

Nesse caso, o FGTS pode abater até 80% do valor da parcela depois que for contemplado.  Outra possibilidade é que o consorciado que possuir parcelas em atraso pode utilizar o saldo para pagar parte das prestações. Mas lembre-se, isso só é possível se forem, no máximo, 3 prestações atrasadas. 

  1. Liquidação de saldo devedor

Também é possível utilizar recursos do FGTS para pagar parte do saldo devedor, chamado de amortização extraordinária, ou ainda, liquidar toda a dívida. Para isso, é necessário que já tenha sido contemplado e adquirido o imóvel. 

Regras ao utilizar o FGTS no consórcio de imóveis

Antes de utilizar o FGTS para pagar o consórcio de imóveis, é necessários saber e seguir algumas regras, de acordo com o S.F.H. Dessa forma, fica ainda mais simples e seguro realizar o consórcio habitacional. Veja quais são elas:

  • É necessário ter contribuído com pelo menos 3 anos de trabalho sob o regime do FGTS;

  • O consorciado não pode ser proprietário de imóvel residencial financiado pelo SFH (Sistema Financeiro de Habitação) dentro de todo território nacional; 

  • O consorciado não deve possuir imóveis residenciais no seu município de residência ou onde exerça sua ocupação principal;

  • O valor máximo de avaliação do imóvel não pode exceder o limite estabelecido pelo SFH. Os valores mudam de acordo com o Estado do consórcio. 

---

Gostou do conteúdo? Se você quiser saber qual o melhor consórcio para você, é só clicar nesse link para fazer uma simulação com a Conseg. 

Sim, pode. Os pagamentos antecipados, além das parcelas normais, serão considerados como quitação na ordem inversa, ou seja, do fim para o começo. Eles também podem ser utilizados como lances.


Você pode fazer a quitação da cota não contemplada quando quiser, por depósito ou boleto, mas lembre-se que isso não garante a contemplação. 


Nós sugerimos fazer a quitação através de um lance. Assim, você tem mais uma chance de ser contemplado na assembleia do mês. Se você for escolhido, pode efetivar a quitação.


Você também pode fazer a quitação da cota contemplada, preferencialmente no dia do vencimento ou da assembleia para ficar livre de qualquer reajuste. 



Você irá receber, todos os meses, o boleto físico no endereço indicado e o digital no e-mail cadastrado na cota para efetuar o pagamento da parcela. Sempre fique de olho na data de vencimento. 

Se por algum motivo, o aviso de cobrança não chegar até a data do vencimento, o boleto poderá ser impresso através do site ou aplicativo. Você também pode entrar em contato conosco através dos canais de atendimento, se preferir.


Para facilitar, você também poderá cadastrar o seu boleto no débito em conta ou autorizar o DDA em sua conta.



É bem fácil. É só acessar nosso site e entrar na sua conta com o seu grupo, cota e senha. Aí, você clica na opção “boleto bancário”, informa o número da parcela e pronto!

Você pode optar por Débito em Conta Corrente se tiver conta nos bancos: Banco do Brasil, Bradesco, Caixa, Sicredi e Sicoob. Para fazer isso, acesse nosso site, entre na sua conta e vá na opção “débito automático”. Depois disso, é só preencher seus dados bancários. 


Se você for do Banco do Brasil, você precisa autorizar o cadastramento via internet banking ou terminais eletrônicos também, ok?


Para programar os pagamentos com Débito Direto Autorizado (DDA), você precisa entrar no site do seu banco seguir as orientações. 


Assembleia

A assembleia é o momento em que contemplamos os nossos consorciados, por sorteio e lance. É um evento agendado e transmitido ao vivo em nosso site, aplicativo e redes sociais.

Contemplação

O objetivo final de um consórcio é a aquisição de bens, mas você pode receber o valor do crédito em dinheiro após 180 dias da contemplação, se você quitar seu plano.

Acesse a sua conta, pelo site ou aplicativo, com o seu grupo, cota e senha. Vá na opção “oferta de lance” e informe o percentual desejado de lance. Clique na opção “verificar oferta”, depois na “confirmar oferta” e pronto. O site vai gerar uma senha de confirmação. 


Se você tiver várias cotas com o mesmo nome, você pode usar a mesma conta para ofertar lances em todas as cotas. 


Você também pode ofertar um lance falando diretamente com a CONSEG.


Você só pode concorrer se ainda não tiver sido contemplado e estiver com suas mensalidades em dia. 

Se você atrasar ou deixar de pagar alguma parcela do consórcio, você não pode participar da assembleia e não tem chance de ser contemplado. A qualquer momento você pode entrar em contato conosco, para regularizar o seu plano de consórcio. Caso você acumule cinco parcelas em atraso e sem regularização, sua cota será cancelada conforme determina o contrato de adesão. 


De acordo com a disponibilidade de caixa um participante do grupo será sorteado para receber a sua carta de crédito no valor do plano que adquiriu independente do número de parcelas que tenha pago. O sorteio serve apenas para a definição da ordem de recebimento do crédito entre os participantes, uma vez que todos serão contemplados até o encerramento do grupo.

Sorteio:

São colocadas, em um globo, bolas numeradas que representam as cotas do grupo, contempladas ou não. São retirados 5 números, e o último deles é o contemplado da vez. Os outros 4 são reservas. Se, por exemplo, o número na 5ª bola já foi ou não pode ser contemplado, então o da 4ª bola será o contemplado do mês, e assim por diante, até que uma cota esteja habilitada. 



Lance:

É o direito do consorciado concorrer à contemplação mediante a antecipação de parcelas na ordem inversa na data das assembleias dos grupos. Será vencedor o maior lance ofertado e, dependendo do caixa do grupo, poderá ser contemplado mais de um lance.


Não há prazo para a aquisição do bem após a contemplação. Mas, uma vez contemplado, o valor correspondente ao crédito será aplicado em favor do consorciado até o momento da sua utilização. O prazo máximo para a retirada do crédito é a data de encerramento do grupo. 

Você pode ser contemplado em assembleia de duas maneiras: sorteios ou lances.

Cancelamento

Para ser restituído, sua cota deverá ser contemplada por sorteio.
O consorciado excluído (cancelado) terá seus valores restituídos com as devidas deduções, de acordo com art. 10, §5º, da Lei nº. 11.795/2008 e cláusulas estabelecidos no seu contrato de adesão.



Sim, a transferência poderá ser efetuada mediante concordância da administradora. 

CONTATOS

Está com dúvidas? Entre em contato com a Conseg

Temos uma equipe especializada em consórcios para te ajudar!

Enviar mensagem

VEJA MAIS

Área do Cliente
Seja um Representante
Resultados e Sorteios
Contatos