/ Dicas da Conseg

O rendimento da poupança vale a pena?

25 Sep 20
2 min

Sem dúvidas, o rendimento da poupança é bastante conhecido pelos brasileiros. Porém, ele pode não ser a melhor opção para o seu dinheiro. Saiba por quê!

Há muito tempo, as pessoas vêm recorrendo à poupança para guardar seu dinheiro. Por ser fácil de operar e relativamente segura, é a modalidade mais conhecida quando falamos de finanças pessoais.

Mas já se perguntou se o rendimento da poupança é a melhor opção? Será que aplicando nela estamos poupando ou investindo nosso dinheiro?

É exatamente isso que vamos abordar neste blog post. Confira!

Como funciona o rendimento da poupança?

O rendimento da poupança tem duas regras de cálculo:

  1. Para depósitos feitos antes de 4 de maio de 2012, a chamada poupança antiga rende 0,5% ao mês + taxa referencial (TR), que hoje está zerada. Assim, o rendimento da poupança antiga fica em 6,16% ao ano.
  2. Para os depósitos feitos depois de maio de 2012, a nova regra determinou que:
  1. Quando a Selic estiver em 8,5% ao ano ou menos que isso, a poupança rende 70% dela mais a TR (Taxa Referencial);
  2. Se a Selic for superior a 8,5% ao ano, a rentabilidade é composta pela TR mais 0,5% ao mês.

Só para você ter uma ideia, em 2019, o rendimento da poupança nova foi de 4,34% ao ano.

O rendimento da poupança vale a pena?

O rendimento da poupança é algo que faz muita gente questionar se vale a pena mesmo aplicar nela. Até porque os juros dessa modalidade são calculados todo mês em cima do valor depositado, e pagos em um dia determinado. É a famosa data de aniversário, que pode ser a de abertura da conta ou quando você faz um depósito.

Como a rentabilidade é mensal, se você retirar o dinheiro antes desta data de aplicação (30 dias) perderá todo o rendimento do período. Ou seja, não recebe juros algum.

Outro ponto é que, dependendo de como for a taxa Selic, a poupança rende muito pouco. Conforme a situação econômica do país, ela pode não conseguir sequer superar a inflação do período. Neste caso, o correntista estaria literalmente perdendo seu dinheiro ao deixá-lo depositado nela. Por essas e outras, ela não é considerada um investimento.

Quais são as alternativas além da poupança?

Se o rendimento da poupança é baixo, a boa notícia é que há muitos outros investimentos em renda fixa com rentabilidade mais atraente. Eles são garantidos pelo Fundo Garantidor de Créditos (FGC), que é o mesmo da poupança.

Entre os mais conhecidos estão os CDBs, RDBs, LCIs e LCAs. Sem falar que existem os títulos públicos do Tesouro Direto, como o Tesouro Selic, que tem rentabilidade diária e é garantido pelo Governo Federal.

Para os mais audaciosos, há também os investimentos em renda variável, como ações de empresas e fundos imobiliários, por exemplo. A única questão é que envolvem riscos.

Gostou de saber mais sobre este assunto? No blog da Conseg, você encontra diversos conteúdos sobre saúde e planejamento financeiro. Clique aqui e confira!

Por Conseg
Oferecemos as melhores opções de consórcio de automóveis e imóveis do mercado, com mais de 27 anos de história.

Fique por dentro das nossas novidades